Por Tássia Biazon

 

Devido ao rápido grau de degradação que vem sendo submetido o litoral norte do Estado da Bahia, além da falta de informação e conhecimento sobre a sua biodiversidade (poucos estudos fragmentados ou sem publicação efetiva), surgiu a ideia da construção de um livro sobre a região. Resultado de uma parceria entre a Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA), o livro intitulado Litoral norte da Bahia: caracterização ambiental, biodiversidade e conservação, tem um público-alvo diverso, como aquele ligado às universidades, organizações governamentais e não governamentais e a sociedade em geral.

 

litornal norte capa

 

Desde quando o litoral norte da Bahia abriga áreas de proteção ambiental e reservas ambientais? Essa é uma das perguntas feitas pelo livro. “A principal ideia é conhecer a biodiversidade da região, servir de subsídios para estudos de impacto ambiental, procurando conhecer seus mais diversos grupos taxonômicos, aspectos ambientais, serviços ecossistêmicos e biomas, além de orientar estudos de preservação ambiental”, conta o professor da UFBA, José Marcos de Castro Nunes, um dos organizadores da obra.

 

É importante ressaltar que na literatura não há nada parecido. “Para essa região certamente este trabalho é pioneiro. Quanto a sua abordagem, tratando de vários grupos taxonômicos (animais, plantas e algas) biomas, serviços ecossistêmicos e aspectos ambientais, trata-se de uma obra rara já publicada no Brasil”, revela José Marcos. O professor também frisa que além dele e da professora Mara Rojane Barros de Matos, da UNEB, o livro teve a contribuição de mais 53 autores e 25 revisores. “O tempo de execução foi de cinco anos, porém todos os capítulos foram atualizados antes da publicação da obra. Portanto, as informações estão atualizadas, principalmente a lista de espécies”, informa.

 

Além do tempo gasto no processo de revisão e editoração, a professora Mara destaca um dos principais desafios da construção do livro: reunir pesquisadores dispostos a doar tempo e conhecimento em meio a tantos compromissos acadêmicos e de pesquisa. “Este é o ponto forte do livro, pois reunimos os maiores especialistas de diferentes universidades e instituições de pesquisa da Bahia”, diz Mara. Além desses esforços, a obra foi financiada, até o momento, pelos próprios autores.

 

DSC04811corrigida

 

Contabilizando 460 páginas, o livro é dividido em quatro seções (Caracterização e Aspectos Ambientais; Flora; Fauna; e Biodiversidade e Conservação do Litoral Norte), as quais levantam a discussão de temas como fitogeografia, diversidade florística, diversidade faunística e conservação da região. Assim, a obra será muito útil aos estudantes, que poderão estudar mais profundamente a região; aos apreciadores da natureza, que se interessarão mais ainda pelo local; aos leitores, que conhecerão mais a fundo a biodiversidade da Bahia; aos gestores ambientais, que terão um material de apoio para suas ações, entre outros.

 

Ambos os organizadores acreditam no potencial da obra para a preservação da região. “Por meio do conhecimento da biodiversidade, mais especificamente no que tange as algas marinhas bentônicas e fitossociologia, que receberam destaque na obra, pretende-se que estes estudos sirvam de base para planos de manejo, conhecimento dos produtos ecossistêmicos, trabalhos de monitoramento ambiental, dentre outros”, ressalta José Marcos. “O volume e diversificação da obra, a qualidade dos seus autores, o pioneirismo e o grande volume de informações possibilitará o seu uso pelos mais diversos seguimentos da comunidade científica e em geral”, acrescenta.

 

DSC06613mangue subaumacorrig

 

“As informações no livro configuram uma base de dados sobre a biodiversidade, a qual deverá ser ampliada e atualizada continuamente. Com a construção do livro foi possível avaliar os esforços de pesquisa já realizados e que são discutidos no capítulo final, Síntese do conhecimento atual da biodiversidade do Litoral Norte da Bahia, e servem como ponto de partida para direcionar estudos futuros visando preencher as lacunas de conhecimento. Cremos que as informações poderão fundamentar propostas para a criação de novas unidades de conservação”, finaliza Mara.

 

Para acessar o livro na íntegra, clique aqui.

 

Fomento

Vínculo