Por Tássia Biazon

 

9783319777788

 

O livro publicado pela Springer “Brazilian Estuaries - A Benthic Perspective” é o primeiro da série Brazilian Marine Biodiversity – que conterá dez livros sobre a biodiversidade marinha brasileira a serem publicados pela editora alemã. Essa primeira publicação traz uma abordagem sobre os estuários brasileiros ao longo de 8.000 km de costa, sendo a comunidade científica internacional o principal público-alvo.

 

Realizando a transição entre os continentes e os oceanos, os estuários são ecossistemas costeiros únicos que fornecem serviços essenciais à humanidade. Entre a variedade de habitats, os estuários estão globalmente alterados ou ameaçados pelas atividades humanas. “O livro será uma importante atualização do conhecimento sobre a estrutura e o funcionamento dos diversos estuários da costa brasileira, agrupados em cinco grandes ecorregiões, desde a região amazônica até o Chuí. Esse conhecimento estava bastante esparso e fragmentado e esse trabalho de síntese assume particular relevância”, conta Paulo da Cunha Lana, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e um dos editores da obra.

 

O livro possui ineditismos, segundo Angelo Fraga Bernardino, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e também editor da obra. “Muitos capítulos apresentam dados inéditos e novas perspectivas sobre a oceanografia, dinâmica ecossistêmica, biodiversidade e conservação de estuários em todas as regiões do Brasil, ou seja, não há nada comparável com o que há hoje disponível sobre estuários brasileiros”, declara.

 

Cap 11 2

 

A publicação dá início à série Brazilian Marine Biodiversity, uma iniciativa da Rede Brasileira de Monitoramento de Habitats Bentônicos Costeiros (ReBentos), coordenada pelo professor Alexander Turra da Universidade de São Paulo (USP). “A Série Brazilian Marine Biodiversity permitirá a sistematização das informações existentes sobre a estrutura, o funcionamento e a importância dos habitats bentônicos na costa brasileira, incluindo as ameaças que os afetam”, diz Alexander, editor da série.

 

A partir de um subprojeto da ReBentos, que consistiu na organização de uma rede de pesquisadores interessados em estudar a longo prazo os ecossistemas bentônicos estuarinos, o livro ganhou vida. “O professor Alexander propôs que realizássemos uma síntese da biodiversidade bentônica em estuários brasileiros. Então, notamos que trabalhos desse tipo ainda não existiam em escala nacional e concordamos que sintetizar o conhecimento sobre a biodiversidade e também sobre as pressões humanas e padrões ecológicos em estuários brasileiros poderia preencher essa importante lacuna e auxiliar estudantes e pesquisadores interessados no tema”, analisa Angelo. “A ReBentos foi um marco importante para colocar talentos e pesquisadores de todo o Brasil trabalhando em conjunto, com foco em monitoramentos de longo prazo em estuários”, acrescenta.

 

Segundo Paulo, cada um dos capítulos do livro dedica particular atenção à questão da preservação dos ecossistemas estuarinos brasileiros, apontando quais são as principais pressões causadas por atividades humanas, pretéritas ou recentes, em cada uma das cinco grandes ecorregiões da costa brasileira. “Embora haja outros livros anteriores sobre o tema, editados pela própria Springer, todos se encontravam relativamente desatualizados”, relata. Para Angelo, a obra é um passo importante à preservação dos estuários brasileiros, mas não é suficiente, tendo em vista a enorme pressão humana sobre esses ecossistemas. “Talvez um dos maiores legados desse trabalho seja o envolvimento de estudantes, e da possibilidade de uso dessas informações para a formação de novos talentos e pesquisadores interessados em ecologia estuarina”, reflete.

 

No total, o trabalho foi escrito por 37 autores e demorou mais de um ano para ficar pronto. “Os autores são de diversas regiões brasileiras, muitos deles estudantes de pós-graduação com formação em ecologia, ciências biológicas e oceanografia”, diz Angelo. Paulo destaca a interação entre os colaboradores: “Houve uma capacidade de trabalho voluntário e colaborativo de dezenas de pesquisadores ao longo do litoral brasileiro”.

Assim, “Brazilian Estuaries - A Benthic Perspective” é o primeiro livro da série que irá apresentar informações relevantes sobre a biodiversidade marinha brasileira. Os demais, que abordarão outros sistemas e ambientes costeiros, virão a seguir, sendo lançados dois volumes por ano. “Os próximos livros abordarão os ambientes de mar profundo, coordenado pelo professor Paulo Sumida do Instituto Oceanográfico da USP, e os princípios e as iniciativas de educação ambiental realizadas no Brasil, editado pela professora Natália Pirani Ghilardi Lopes da Universidade Federal do ABC (UFABC) e pelo professor Flávio Augusto de Souza Berchez do Instituto de Biociências da USP”, finaliza Alexander.

Fomento

Vínculo